Pesquisar este blog

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

13º SALÁRIO É UMA ENGANAÇÃO!


13º Salário NUNCA Existiu...


Nunca tinha pensando sobre este aspecto. 
Brilhante, de fato! 

Os trabalhadores ingleses recebem os ordenados semanalmente! 
Mas há sempre uma razão para as coisas e os trabalhadores ingleses, membros de uma sociedade mais amadurecida e crítica do que a nossa, 
não fazem nada por acaso! 


Ora bem, cá está um exemplo aritmético simples que não 
exige altos conhecimentos de Matemática, mas talvez 
necessite de conhecimentos médios de desmontagem de 
retórica enganosa. 

Lembrando que o 13º no Brasil foi uma inovação de Getúlio Vargas, 
o “pai dos pobres” e que nenhum governo depois do dele mexeu nisso. 


Porquê? Porque o 13º salário não existe. 


O 13º salário é uma das mais escandalosas de todas 
as mentiras dos donos do poder, quer se intitulem “capitalistas” 
ou “socialistas”, e é justamente aquela que os trabalhadores 
mais acreditam. 

Suponhamos que você ganha R$ 700,00 por mês. 
Multiplicando-se esse salário por 12 meses, você recebe 
um total de R$ 8.400,00 por um ano de doze meses. 

R$ 700,00 X 12 = R$ 8.400,00 



Em Dezembro, o generoso governo manda então pagar-lhe 
o conhecido 13º salário. 

R$ 8.400,00 + 13º salário = R$ 9.100,00 

R$ 8.400,00 (Salário anual) 
+ R$ 700,00 (13º salário) 
= R$ 9.100,00 (Salário anual mais o 13º salário) 

... e o trabalhador vai para casa todo feliz com o 
governo que mandou o patrão pagar o 13º. 

Façamos agora um rápido cálculo aritmético:

Se o trabalhador recebe R$ 700,00 mês e o mês tem 4 semanas, 
significa que ganha por semana R$ 175,00. 

R$ 700,00 (Salário mensal) 
dividido por 4 (semanas do mês) 
= R$ 175,00 (Salário semanal) 

O ano tem 52 semanas (confira no calendário se tens dúvida!). 
Se multiplicarmos R$ 175,00 (Salário semanal) 
por 52 (número de semanas anuais) o resultado será R$ 9.100,00. 

R$ 175,00 (Salário semanal) 
X 52 (número de semanas anuais) 
= R$ 9.100,00 

O resultado acima é o mesmo valor do Salário anual mais o 13º salário
Surpresa!!
Onde está, portanto, o 13º Salário? 

A resposta é que o governo, que faz as leis, lhe rouba uma 
parte do salário durante todo o ano, pela simples razão de 
que há meses com 30 dias, outros com 31 e também meses 
com quatro ou cinco semanas (ainda assim, apesar de cinco 
semanas o governo só manda o patrão pagar quatro semanas) 
o salário é o mesmo tenha o mês 30 ou 31 dias, quatro ou 
cinco semanas. 

No final do ano o generoso governo presenteia o trabalhador 
com um 13º salário, cujo dinheiro saiu do próprio bolso do trabalhador. 

Se o governo retirar o 13º salário dos trabalhadores da função pública, 
o roubo é duplo. 

Daí que não existe nenhum 13º salário. O governo apenas manda 
o patrão devolver o que sorrateiramente foi tirado do salário anual. 

Conclusão: Os Trabalhadores recebem o que já trabalharam 
e não um adicional.

13º NÃO É PRÊMIO, NEM GENTILEZA, NEM CONCESSÃO. 
É SIMPLES PAGAMENTO PELO TEMPO TRABALHADO NO ANO!

TRABALHE PELA CIDADANIA!
CIRCULE ISSO!

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

City Tour por Mossoró.

Cheguei a Mossoró em maio de 1999. Desembarquei do ônibus viação Nordeste no Alto do São Manoel. Olhei para todos os lados com a intenção de me ambientalizar, era noite, estava sozinho, um pouco tenebroso por está em uma cidade diferente da minha Natal e minha única bagagem era uma caixa grande de livros, uma mala grande roupas e uma bicicleta. Tinha um único motivo de aqui morar, ou seja, vim exercer minha profissão, fui classificado no concurso público para Professor de Arte na Rede Municipal de Ensino. Decorridos cinco após a chegada a Prefeita na época Rosalba Carline me convidou para assumir a Direção artística da Estação das Artes, foi um momento muito feliz da minha vida, produzi vernissages (a 1ª exposição de um artista plástico), exposição de livros, Mostras de teatro, música e dança no auditório Eliseu Ventania, registrei tudo no livro de visita, nas minhas memórias e no meu Curriculum. Hoje a caixa se transformou em casa, os livros em biblioteca, a mala em experiências de vida amadurecidas e a bike em bens duráveis de locomoção.
         Abaixo as fotos da cidade que vi crescer e se transformar em especial para os meus alunos de Economia do RN.



Palácio da Resistência
 Gabinete da Administração Municipal de Mossoró
Mossoró é um município do nordeste brasileiro, segundo mais populoso do Estado do Rio Grande do Norte, fica a 285  km da capital Natal. Localizada às margens do Rio Apodi-Mossoró, na região do Oeste potiguar.


Principal município da Costa Branca Potiguar, de acordo com IBGE  no ano de 2010, possui uma população de 259.886 habitantes, o qual a coloca como a décima nona maior da Região Nordeste e está entre as cem maiores do Brasil, numa região de transição entre litoral e sertão a 42 km da costa marítima.


Ponte de ferro que passa sobre o Rio Apodi-Mossoró: Antiga linha férrea que transligava Mossoró à Souza – PB.



Debaixo desta ponte, populares encontraram Jararaca (cangaceiro do bando de Lampião), baleado, agonizando, em dores às margens do rio.





Localizada entre as capitais Natal e Fortaleza, às quais é ligada pela BR-304, Mossoró é uma das principais cidades do interior nordestino, e atualmente vive um intenso crescimento econômico e de infraestrutura, considerada uma cidade de médio porte  das brasileiras mais atraentes para investimentos do país.O município é o maior produtor em terra de petróleo no país como também, de sal marinho.

Reduto cultural, o município historicamente marca seu orgulho pelos acontecimentos do passado como “Motim das Mulheres”, pelo “Primeiro voto feminino do país”, por ter libertado seus escravos cinco anos antes da Lei Áurea, sem falar da resistência ao bando de Lampião. O município foi desmembrado de Assú em 1852 e tinha o nome de Vila de santa Luzia de Mossoró. Hoje, conhecida como a “Capital do Oeste” Porter se destacado das demais na região do Oeste Potiguar, destaca-se também o turismo de negócios.
Imagem aérea do Mossoró Cidade Junina

Imagem aérea do Teatro Muncipal Dix-Huit Rosado





O Teatro Dix-Huit Rosado trouxe mais entretenimento para a cidade e conta em sua estrutura com o que há de mais moderno. Sua capacidade é para 740 lugares.


O monumento situado na Av. Rio Branco no corredor Cultural entre a Estação das Artes Elizeu Ventania e o Memorial da Resistência. Zona central de nossa cidade.












Uma gigante obra da arquitetônica! Que nos oferece com muito conforto cultura, diversão e arte.





Av. João da Escóssia (famosa avenida do shopping).


A João da Escóssia sempre teve sua importância como Avenida de Mossoró. Hoje, maior é a nossa necessidade dela, para nos levar ao Mossoró West Shopping, a faculdade UNP, ao Atacadão e por nos ligar a outros bairros da região oeste da cidade.





Ao meio da Praça da Redenção, podemos ver a Estátua da Liberdade, e bem adiante na mesma imagem vemos a Biblioteca Municipal Ney Pontes Duarte. Situada no antigo prédio da Escola Técnica de Comércio União Caixeiral, tombado para o Patrimônio Público Municipal.











Nesta mesma praça, podemos encontrar uma estátua em bronze do mais ilustre leitor, escritor e poeta: jornalista Dorian Jorge Freire.



 Lateral da Capela de São Vicente – Centro da Cidade.

A Capela de São Vicente é um marco histórico de nossa cidade. Entre outras trincheiras, foi lá onde soldados combateram o bando de lampião quando esse adentraram em nosso terra no propósito de tomar a cidade.





Cena de “Chuva de bala no país de Mossoró”.

No patamar da capela se realiza todo ano uma encenação teatral.






Padroeira de Mossoró, Santa Luzia tem sua história contada em cena teatrais da peça “O Oratório de santa Luzia” encenado no patamar da Catedral durante os festejos alusivos à Santa, sempre de 3 a 13 de dezembro. A grande festa se encerra com uma tradicional procissão.





Cena da peça teatral "O Oratório de Santa Luzia".


 Memorial da Resistência de Mossoró.



O Memorial tem atraído muitos interessados na história e foi idealizado justamente com esse fins.






Imagem externa “Museu do Memorial da Resistência”, situado no segundo piso (1º andar) da loja de conveniência do ambiente.







O Museu conta em painéis ilustrados e iluminados o que passou aqui quando o bando de Lampião decidiu tomar a cidade.
O Memorial da Resistência está dentro do Corredor Cultural.






Na mesma praça, atualmente, podemos também testemunhar no final das tardes um belíssimo trabalho de voluntários que se dedicam a ensinar música para crianças e adolescente, geralmente o instrumento é o violão.






Imagem noturna do painel frontal do Memorial da Resistência, em baixo a loja de conveniência “O Cafezal”.



 A Estação das Artes “Eliseu Ventania”.









O antigo prédio do Sistema Ferroviário Federal, foi recuperado com a parceria da Petrobrás que foi contemplada com o espaço para o Museu do Petróleo.



 A estação das artes “Eliseu Ventania” é um prédio em que acontece a maioria das festas e eventos da cidade de Mossoró, no Estado do RN. Também é parte do chamado “Corredor Cultural de Mossoró, que envolve as atrações da Avenida Rio Branco – centro.






O nome do prédio é homenagem a Eliseu Ventania, falecido em 1997, importante compositor e violeiro do RN e ainda, dentro da Estação são homenageados outras personalidades importantes da cultura brasileira, tendo em cada uma das salas batizadas com o nome de um homenageado, na Galeria de Arte no piso superior temos a homenagem à Marieta Lima artista plástica de Mossoró.



 O Ginásio Pedro Ciarline está para Mossoró assim como o Coliseu está para Roma.

O Ginásio foi inaugurado no final de 2004 com o show de Ivete Sangalo, eu estava lá. É um dos mais modernos e bem estruturados dopais. Capacidade para um público de 4.500 pessoas. Palco de grandes eventos esportivos, o ginásio já recebeu competições de níveis nacionais e internacionais do futsal.
Só pra lembrar... o futsal brasileiro já enfrentou neste ginásio a seleção holandesa e a croata.

Imagem aérea da cidade anoitecendo!

Mossoró tem se desenvolvido significativamente no campo imobiliário. Esse avanço tem trazido opções de moradias para pessoas da classe média, alta e muitos imigrantes de outras cidades que optam por vir viver aqui.



 De cima vemos as pontes sobre o Rio Mossoró interligando o grande Alto do São Manoel ao centro.


 Mossoró verticalizada!

 Lindo entardecer no céu que encobre Mossoró.

 Paróquia de São José.

É o local ponto de encontro de famílias de vários bairros de Mossoró que participam das missas sentadas em calçadas espalhadas em volta da igreja. O que mais toca o coração é a lição de amor que a paróquia guarda em suas paredes. A paróquia administra o “Abrigo de Idosos Amantino Câmara”. Além disso, coordena o “Projeto Esperança” que capacita cerca de 400 jovens e crianças através de aulas de informática, capoeira, jiu-jitsu, tae kwon-do, flauta e formação religiosa. Tudo a partir de trabalho voluntário e com doações obtidas, ajudando a despertar vocações e até talentos musicais.



















quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Por essa eu não esperava!



MOSSORÓ É DESTAQUE NACIONAL COM O MENINO-IMÃ
Um mistério está intrigando moradores de Mossoró (RN). O corpo de um menino de 11 anos atrai metais como se fosse um ímã. Foi de uma hora para a outra que Paulo David Amorim descobriu que seu corpo atrai metais de diferentes tamanhos, até uma panela de inox ficou grudada em seu dorso.
O médico Dix-Sept Rosado Sobrinho, que tem mais de 30 anos de profissão, disse que nunca viu algo parecido. “A gente pode explicar e dizer que não há na medicina muitos relatos. É uma adesividade, sim, mas a gente vê como uma coisa normal.” Fonte: www.globo.com

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

22 de agosto dia do FOLCLORE.



É o conjunto de mitos, crenças, histórias populares, lendas, tradições e costumes que são transmitidos de geração em geração, que faz parte da cultura popular.
A palavra folclore vem do inglês “folk” = povo e “lore” = conhecimento e significa sabedoria popular. 
folclore é a expressão cultural mais legítima de um povo.

PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS

É popular.
Emana do saber cultural.
Constitui-se em uma tradição.
É transmissível notadamente pela oralidade e pela prática.
Faz parte do conhecimento coletivo.
Espelha uma situação ou ação.
Tem caráter universal.
É anônimo, pois desconhecem-se seus criadores.
É criatividade livre e espontânea de um povo.

PATRIMÔNIO CULTURAL

folclore como expressão do povo faz parte de sua riqueza cultural e portanto está inserido no patrimônio cultural.

PROTEÇÃO JURÍDICA

Constituição Federal
Art. 215: "o Estado garantirá a todos o pleno exercício dos direitos culturais e acesso às fontes da cultura nacional, e apoiará e incentivará a valorização e a difusão das manifestações culturais";
Art. 216 : "Constituem patrimônio cultural brasileiro os bens materiais e imateriais, tomados individualmente ou em conjunto, portadores de referência à identidade, à ação, à memória dos diferentes grupos formadores da sociedade brasileira nos quais se incluem:
I- as formas de expressão;
II – os modos de criar, fazer e viver;
III – as criações científicas, artísticas e tecnológicas;
IV- as obras, objetos, documentos, edificações e demais espaços destinados às manifestações artístico-culturais;
V- os conjuntos urbanos e sítios de valor histórico, paisagístico, artístico, arqueológico, paleontológico, ecológico e científico".
Portanto, as crenças, lendas, tradições, costumes e tradições, são bens imateriais, que compõem o patrimônio cultural, estão protegidos juridicamente pelo texto constitucional citado. Tratam-se assim de bens imateriais difusos de uso comum do povo e que podem ser protegidos pela ação civil pública (Lei 4.3 /85).
Exemplo: quando manifestações ou representações do folclore são proibidas por autoridade, lei ou ato administrativo, podem ser defendidas juridicamente.

PERTENCEM AO FOLCLORE

A mitologia, as crendices, as lendas, os folguedos, as danças regionais, as canções populares, as histórias populares, os costumes populares, religiosidade popular ou cultos populares, a linguagem típica de uma região, medicina popular, o artesanato etc.
Fonte: ifolk.vilabol.uol.com.br

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Acervo Artístico inestimável.

LEITURA ESTÉTICA

          Foi surpreendente encontrar nas dependências físicas da escola estadual Prof. José Nogueira, onde leciono a mais de cinco anos, um acervo histórico de artefatos que impressiona qualquer cidadão, sem falar a atração que causa os olhos mais sensíveis e especializados em Obras Artísticas.

           Considero que seja indiscutível sua importância artística no universo das Artes Plásticas no Estado do Rio Grande do Norte, pois é fonte inigualável de uma fazer artístico histórico pela utilização do suporte (alumínio) e as formas em alto e baixo relevo que a artista empregou na construção e elaboração de suas criações.

          São seis (06) telas monocromáticas com dimensão de aproximadamente 2MT por 1MT, confeccionadas em alumínio com fundo preto pontilhado, formas humanas e conteúdo imagético que lembram paisagens e pessoas do antigo oriente.

            Seu estilo artístico se aproxima muito do surrealismo figurativo, uma arte moderna sem data de sua elaboração, pois em todas as telas encontramos a assinatura (Zaíra), o que dificulta o registro do período da confecção e doação das mesmas para a escola acima citada.

            Acredito que o desafio da artista foi buscar a beleza e transformá-la em arte com o alumínio pela via no metal a leveza física e também a leveza da cor (brilho). Através da arte pode-se divulgar o material para todos os segmentos da sociedade. Em “minhas pesquisas encontrei que apenas em 1889 foi feita a primeira escultura em alumínio, uma réplica da Vênus de Milo.

           Figuras humanas se contorcem e disputam espaços com elementos da flora e fauna que confunde o leitor estético, muito embora a fauna e flora é relativa aos bichos do semi-árido do Nordeste, é facilmente identificado seres masculinos, femininos e andrógenos que seduz o olhar pela sinuosidade das linhas riscadas.

             O fundo preto pintado destaca as figuras no primeiro plano, nos dar uma impressão que os elementos da tela irá saltar do espaço bidimensional para o tridimensional interagindo mentalmente com o expectador ou apreciador. Toda a visibilidade é destacada pelo movimento, o olho não fica parado no momento da apreciação, somos levados pelas linhas riscadas no alumínio.

                 Não temos registro de sua autora, pois a mesma só assinou ZAÍRA e não datou as telas. Existe um comentário oral dialogado com a Sra. Elizete da Gestão Democrática da Escola onde levanta a  suspeita de que a artista era funcionária professora antiga da escola e nada mais...

                  Esse nome soa para mim de forma muito familiar. É preciso dizer que existe uma artista no RN que conheci no início dos anos 90 quando ingressei na Faculdade de Educação Artística da UFRN, essa artista marcou minha vida e dos demais graduandos daquela época. Vicente Vitoriano nosso amigo e professor de artes visuais nos levou a casa de ZAÍRA CALDAS, artista autodidata como o irmão DORIAN GRAY, costumo dizer que esses dois são patrimônio vivo da humanidade no Estado do RN.

                   Minhas suspeitas se fundamentam pela historiografia de ZAÍRA, relatada em meu blog que pra quem quiser ler ou conhecer um pouco mais da vida e obra da artista, é só acessar a postagem anterior.


                 ZAÍRA CALDAS é Autodidata e pesquisadora incansável, suas buscas levam-na à escultura com acrílico, ao alumínio, ao bico de pena, ao cimento, a caixas de papelão de formas e tamanhos variados, a garrafas plásticas, ao acrílico etc. Seus painéis em alumínio e ferro estão em cidades como Fortaleza e Brasília, entre outras capitais.